O Mindelo, localizado na ilha de São Vicente, barlavento  em  Cabo verde, é uma povoação cosmopolita. Cidade bela, histórica e com um povo caloroso, tem a reputação de acolher as noites mais animadas e os principal pólos de actividade cultural do arquipélago de Cabo Verde. Terra de Cesária Évora, de mornas, funaná e coladeras, e do festival da Baía das Gatas. Sejam bem-vindos a um pedaço de África em pleno Atlântico, com uma atmosfera singular e cativante: o Mindelo, em Cabo Verde.

 

Sobre a Cidade

Cidade doce e morna, com um inconfundível toque colonial, o Mindelo é o destino ideal para quem goste de combinar diversão, praia e história. É a segunda maior cidade de Cabo Verde e tem a fama de ser a mais cosmopolita de todas - e, provavelmente, também a menos africana, destacando-se antes por um toque muito brasileiro. Um dos principais ícones da vida local é, aliás, o calçadão da baía da Laginha, em torno da qual a cidade se espraia. É aqui que os residentes se dedicam ao culto do bem-estar físico: os culturistas exercitam-se em máquinas de musculação improvisadas na praia; há um corrupio constante de senhoras fazendo jogging e footing até ao pôr-do-sol; e, logo pela manhã, dezenas de crianças correm no areal aquecendo os músculos para as aulas de natação.

 

Cidade cosmopolita

Cidade doce e morna, com um inconfundível toque colonial, o Mindelo é o destino ideal para quem goste de combinar diversão, praia e história. É a segunda maior cidade de Cabo Verde e tem a fama de ser a mais cosmopolita de todas - e, provavelmente, também a menos africana, destacando-se antes por um toque muito brasileiro. Um dos principais ícones da vida local é, aliás, o calçadão da baía da Laginha, em torno da qual a cidade se espraia. É aqui que os residentes se dedicam ao culto do bem-estar físico: os culturistas exercitam-se em máquinas de musculação improvisadas na praia; há um corrupio constante de senhoras fazendo jogging e footing até ao pôr-do-sol; e, logo pela manhã, dezenas de crianças correm no areal aquecendo os músculos para as aulas de natação.

 

Lazer em S.Vicente

Dentro da cidade pode se optar pelos passeios a cidade, a praça Amilcar Cabral onde há uma grande concentração de jovens, visitas ao museu tradicional de artes junto a praça Amilcar cabral,exposições nas galerias de arte como o de Tchalé  FIgeira na rua da praia numa das casas históricas da ilha, centro cultural do Mindelo onde sempre tem exposções de varios artistas nacionais e para que gosta de diversão nocturna tem as opcões dos estabelecimentos de diversão nocturnas como as boites e dancing: a cave, caravela, cirious ou simplesmente descontriar nas explanadas da praça nova,ouvir musica nas explanadas dos hoteis Mindelo hotel e Porto grande.   

Para quem gosta de carnaval pode visitar a ilha no mes de Fevereiro onde há um grande movimento nas ruas por esssa épocas, nos domingos há os tradicionais mandingas e na última semana  antes do carnaval os desfiles começãm desde dos jardins de infancia, as escolas, as universidades, os trios electicos e o grupo samba tropical que saem a segunda- feira a noite e o grande dia de carnaval na terça- feira onde as principais vias da cidade se enche de gente vindo de todas as zonas, localidades e das outras ilhas  andores ornamentados com 
  Saindo da cidade, a estrada conduz à zona do Calhau,  é parada obrigatória para quem visita são Vicente. A vila piscatória, a 14 km da cidade do Mindelo, situa-se  no extermo da ilha, situadono sopé do vulcão extinto há cerca de um século,mas cujo cone negro continua a infundir respeito.

 O caminho faz-se por um vale entre esmagadoras e áridas paredes vulcânicas, na orla das quais se situam as principais explorações agrícolas da ilha, onde é possível, mesmo, avistar alguns embondeiros. O Calhau e a vizinha Vila Miséria funcionam, refira-se, como locais de veraneio para os mindelenses. Os areais não são grandes, mas há boas condições para a prática de surf e bodyboard em ondas de um azul cristalino. Na Praia Grande, no sopé do cone do vulcão, existe ainda uma piscina natural.A ligação entre a aldeia e a cidade pode ser feita em apenas dez minutos, de carro alugado ou nos mini-autocarros de transportes de passageiros, com partida  na praça estrela(Mindelo).Pra quem quer esticar as pernas, a caminhada é agradavel,com passagens por ribeira de Julião, localidade que acolhe a tradicional festa de São João a 24 de Junho.Ao longo da estrada que exige muito cuidado aos condutores por causa das curvas e contra- curvas, avistamos muitas hortas e relelando novas belezas entre o contraste do castanho dos rochedos,o verde das hortas com o céu azul.

O caminho agreste e montanhoso repete-se nos 15 quilómetros que é preciso percorrer entre o Mindelo e a célebre Baía das Gatas, local onde, todos os anos, no mês de Agosto, decorre a mais famosa manifestação cultural cabo-verdiana. A elevação mais alta do caminho, o Monte Verde, tem 800 metros de altitude, mas todo o trajecto é igualmente árido e pedregoso, abrindo o apetite para um mergulho na verdadeira piscina que o mar forma na bonita baía. A água é morna, cristalina, transparente, de um azul difícil de descrever. Igual ao dos sonhos, decerto.
Os passeios podem ser feitos a solo, ou recorrendo a empresas especializadas como a Cabtur ou a Cabo Verde Leisure, especializada em programas turísticos de natureza e aventura, mergulho, pesca de fundo, surf, bodyboard, windsurf, passeios de BTT e circuitos pedestres. 

 

Onde se hospedar

As alternativas são diversas e para as mais diversas bolsas. Para os mais exigentes, o Hotel Porto Grande (Praça Amílcar Cabral), situado na praça central da cidade, pode ser uma boa opção. É também um dos locais de animação nocturna do Mindelo e o restaurante está acima da média. Os preços em quarto duplo, com pequeno-almoço, começam nos 96€.
Entardecer no calçadão da Laginha, Mindelo, Cabo Verde.

No outro lado estão a Pensão Chave D'Ouro (Avenida 5 de Julho) e a Residencial Amarante (Avenida 12 de Setembro). Para gostos mais intermédios, aconselham-se a Casa Café Mindelo (Rua Governador Calheiros 6), uma casa colonial recentemente recuperada, que alberga um café no piso térreo e quatro quartos de turismo de habitação nos dois pisos superiores. A decoração é sofisticada e os preços praticados não excedem os 65€ em época alta. A cidade dispõe ainda de pelo menos dois B&B, na Rua Dr. Vicente Rendall Leite, 15, e na Rua Franz Fanon.
Fora da cidade, pode ainda optar-se pelo Foya Branca Resort Hotel, localizado em S. Pedro.

 

Gastronomia

O prato mais comum nos restaurantes do Mindelo, como no resto de Cabo Verde, é o bife de atum, normalmente de excelente qualidade. Mas é também possível encontrar cachupa, espécie de feijoada local, sendo ainda bastante comuns os pratos de peixe grelhado ou cozido.

A maior dificuldade será, assim, escolher o sítio. O restaurante Sodade (Rua Franz Fanoz, 38), por exemplo, prima pela simplicidade, mas beneficia de uma vista deslumbrante sobre a baía e o Monte Cara (dispõe também de uma residencial). Mais sofisticado é o Archote, situado no Alto de S. Nicolau, a curta distância da praça central, onde se pratica uma cozinha cuidada (aconselha-se aqui o bife de atum gratinado). A refeição é acompanhada por música ao vivo, na esplanada. Conta também com uma estalagem.

No topo das preferências daqueles que procuram um restaurante que obedeça a padrões europeus está o Tradissom & Morabeza (Rua da Praia), que ocupa o último andar no edifício do Clube Mindelense e se destaca por uma decoração extremamente cuidada e pela vista sobre a baía. Abre só ao jantar.

 

Este texto foi feito com recuso aos sites:

www.almado viajante.com.../caboverde/mindelo

www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/cabo-verde/locais-turisticos-de-cabo-verde.php

www.tripadvisor.com.br/Restaurants

 

Reportagem da jornalista Matilde Dias na revista Fragata n.11.III SERIE 2007

 

Não conseguimos inserir as imagens mas para consultar visite os seguintes sites:

www.caboverde.comilhas/ysvic.it.html

www.tripadvisor.com.br/Tourism-g482855-Mindelo_Sao_Vicente-Vacations.htm

www.almadeviajante.com/viagens/cabo-verde/mindelo.php

 

publicado por mekane às 16:34